sexta-feira, outubro 21, 2011

A Lei de Linch para estabelecer a Democracia?

O corpo de Kadhafi, coberto de petróleo, perdão, de sangue!


A localização das cidades na costa do Mediterrâneo, erro estratégico cuja dimensão vem já do tempo dos Romanos, impede qualquer esperança de defesa militar perante uma potência naval, e agora aéro-naval. Mas não é sobre isso que quero manifestar a mais viva repulsa pelos métodos uados pela Nato e pelos tais "rebeldes"! Igualmente não se sabe a soldo de quem é que se organiza e mantém uma guerra daquela dimensão e naquelas condições naturais, sem intervenção directa de potências estrangeiras em todos os campos!

Mas também não é desse saque que quero escrever. Escrevo contra a aplicação em directo, ao vivo e a cores da Lei de Linch, a que não nos deixa saber mais nada, a que cala para sempre as respostas e as inquietações dos que acham que o caminho para uma tal Democracia não é, não pode ser, o assassínio programado de qualquer chefe político. Julgava eu que estávamos no séc. XXI e não no XI!

1 comentário:

Miguel Loureiro disse...

Manuel Ferrer
Esta forma de implantar a "democracia" e de festejar o sangue, de todos os lados, leva-nos à era dos romanos e do sangue na arena...
E ainda se luta contra as touradas e o sofrimento do touro (que eu condeno)...
Já não há civilização.