quarta-feira, julho 27, 2005

A televisão dos pobres faz medo ?

Caro Carlos Manuel Castro,

Vamos lá por partes e demos um ar arrumado a estes posts:
Li o o seu post aqui em 1 . Comentei no respectivo lugar - 2 - e Vc respondeu directamnete na frente do Tugir, como se lê em 3.
Deixe-me desiludi-lo. Vou ainda comentar aqui o que escreveu sobre o assunto:
4 - A América Latina está de facto muito atrasada. Nem vale a pena incluir aqui as razões desse atraso. Valerá sim sublinhar que Cuba é uma ilha em diversos sentidos e que o caminho percorrido - com erros e o mais longo cerco da história - é no entanto motivo de estudo. Sabia que erradicaram o analfabetismo?; que têm a mais desenvolvida e gratuíta medicina da América? Que recebem inclusivé norte-americanos e canadenses para se irem aí tratar?
Sabia que, apesar dos valores de troca desfavoráveis, têm a mais pequena dívida externa da América Latina? Que têm muito menos presos nas cadeias, proporcionalmente, que os EEUU?
( para sua informação um em cada cinco norte-americanos negros estão na cadeia...)
Que têm os melhores resultados desportivos da América, à sua dimensão.
Claro, não há lá uma democracia liberal. É verdade. Têm estado sujeitos às mais avançadas técnicas de propaganda política por todos os meios, ao longo de 50 anos. E o regime mantém-se? Ou o sangue corre pelas ruas ou então os cubanos são tontos.
E, já agora o Papa JPaulo II devia ser um perigoso simpatizante do Castro. Não, não, de si não! Do outro.
Também não consta que haja contas na Suiça em nome dos seus dirigentes. Que a corrupção seja a moeda nacional,etc.
Não é o paraíso. É um país pobre, mas cercado!
É fácil ser a favor dos poderosos, difícil é compreender os fracos e as suas limitações.
Àcerca da amizade com Caracas é bom de ver que Cuba aspira a qualquer oportunidade para respirar e conviver normalmente com outras nações.
Sobre a natureza maligna do regime da Venezuela, digo apenas que bastou um cheirinho de nacionalismo para desencandear golpes de estado, manifs da direita populista e ameaças do FMI.
Não tivessem eles petróleo e já estavam com um bloqueio em cima!
Uma televisão que transmita o ponto de vista dos pobres e oprimidos da América Latina, eu compreendo, é tudo o que a administração americana menos precisa !
E desculpe, não é um problema de perspectivas diversas. O seu é um caso de miopia ou de negação da realidade. Pode escolher qual prefere, ou informar-se melhor.

3 - Num ponto estamos de acordo, as divergências devem-se a perspectivas diametralmente opostas. Sinceramente, daquela dupla política não espero grandes soluções para muito do atraso da América Latina.Quanto ao venezuelano tenho de respeitar a opção dos venezuelanos por que, como se recorda, há um ano sensivelmente, a sua liderança foi submetida a referendo e o senhor manteve o poderDemocracia, em Cuba, é ar que não se respira.Descanse, pois não estou a defender o amigo norte-americano, que também tem sido prejudicial para a América latina. Reconheça-se. Todavia, lá por os norte-americanos não serem o exemplo, isso significa que me renda e aplauda o populismo-retrógrado do eixo Caracas-Havana?Como diriam alguns argentinos, o senhor de Caracas gosta tanto da pobreza que até a consegue aumentar.CMC


2 - Pois è. Já entendi as suas preocupações quanto à difusão de ideias diferentes das suas! Realmente é uma chatice. Mas o que é que se pode fazer? Os amigos americanos estão um bocado ocupados noutras latitudes. E o dinheiro não é elástico. Uma guerra tudo bem. Duas, parece exagero mesmo para os falcões endividados ( a maior dívida da história, de sempre e para sempre!).Mas não se rale tanto. Como diz, a propaganda que vão fazer no nova TV vai ser de maus produtos, não é? Tipo, as razões dos excluídos e dos marginalizados da América do Sul. A exploração das multinacionais, e assim!Como se trata de rematadas falsidades, quanto mais propaganda de um mau produto , menos êxito da publicidade! Vai ver. É uma regra dos próprios americanos!Saúde e paciência.

1 - Mais uma conquista preocupanteO pseudo-biblista-bolivarista com laivos de revolucionário prepara-se, conjuntamente com o seu amigo autocrático, para mais uma enorme e preocupante conquista: ter um canal de televisão na América Latina.O canal servirá para o inefável espalhar o evangelho da doutrina populista-retrógrada, como se ela representasse o progresso ao virar da esquina, quando, como se prognostica, significa precisamente o oposto.Os tempos são perigosos e as palavras da irresponsabilidade começam a espalhar-se de forma rápida e sem oposição.Haverá, porventura, melhor meio de propaganda do que um canal televisivo?De parvo é que o inefável nada tem.CMC

1 comentário:

Carlos Esperança disse...

Um bom post. Excelente argumentação.
Mas valerá a pena gastar cera com ruins defuntos?