sexta-feira, julho 22, 2005

Vai-te embora que te quero cá!

A um amigo, perturbado com a substituição de um ministro por outro, dizia eu, esta manhã, que não era motivo nem para admiração e, menos ainda, para alarme.
No estado em que o País se encontra, depois de mais de 30 anos de governos de direita, de manigâncias as mais variadas, de absoluto e total assalto às finanças públicas, mesmo aos fundos de pensões, da venda de património ao desbarato, através de privatizações, de indemnizações por nacionalizações nos idos da "revolução", da venda de futuros nas cobranças fiscais, da compra de votos através do Gov. Reg. da Madeira, de investimentos, mais investidas de besta que de bípede racional, depois de tudo isto e muito mais havia a contar, não há que esperar avenidas onde se encontram buracos, não se aguardem amenidades onde sopra a tempestade e fede o ar!
Quando o País se encontra a um pequeníssimo passo da argentinização da economia e das finanças, apenas travada pela existência do Euro, quando o investimento caiu a pique, as exportações para menos 30% do que foram há um ano, quando o desemprego está à desfilada, os Sindicatos a olhar para o umbigo, as fábricas a irem embora onde os salários são ainda menores, bom, o que seria de esperar da nossa "inteligência" era uma atitude ao menos de esperteza. De adaptação. Mas nem isso!
Que foi que fizeram nestes três meses? Ao ministro demissionário, pumba!, não houve nome que não lhe chamassem. Não houve tamanho para a inveja, dimensão à mesquinhez, à falta de respeito ao homem e ao professor de economia e finanças com provas e curricula prestados noutras latitudes. Aqui era um zé-ninguém. Um idiota chapado sem uma medida, um remendo, a valer ao menos o benefício da dúvida. Pois eles só têm certezas. Estou aliás convencido que vivem de certezas.
Estou, isto é, estava, pois não é que tenho agorinha que mudar de opinião?
Não é que agora a oposição da extrema esquerda à extrema direita, não é que, estão a chorar a saída do homem.?! Que receiam que a política vá ser outra?!Que exigem a continuação da política anterior!?
Pois não votaram sempre e sistematicamenbte contra todas as medidas do tal senhor que se foi embora?
Pois alguma vez se abstiveram de vituperar a mais modestas das alterações? A menos ousada decisão?
Jamais pararam a desbragada gritaria para analisar a situação real em que deixaram o País e para impedir a governação?
Olho a ponta da prancha e não me recordo.

1 comentário:

VDF disse...

Esperavas outra coisa desta "gentinha" ?