quarta-feira, dezembro 16, 2009

E a CGTP nada diz?

Se proviesse num daqueles paraísos do leste, que faneceram, deixando-nos apenas os saudosos orfãos dos amanhãs cantantes, tal notícia não passaria de mera propaganda do imperialismo do capitalismo e da reacção.
Quer dizer, tal coisa era impensável numa economia planificadinha, com muita polícia política e sem perturbações de mercado...
Tavez isto explique a mudez da CGTP e aliados, sobre estas golpadas e dos prejuizos causados aos outros contribuintes...


3 comentários:

Aristes disse...

Os novos “negreiros”, versão século XXI
Agora num Centro Comercial ou supermercado perto de si.

Hugo Dionisio disse...

A CGTP? O que é que a CGTP tem a ver com condutas individuais erróneas? Mesmo que estivéssemos a falar de sindicalizados da CGTP, a sua grande maioria não será, sequer, sindicalizada. Pelo que, que responsabilidade terá a CGTP nisto?

POrque não colocar antes o seguinte título? "E os atrões? Nada dizem?"

Afinal, se as pessoas trabalham e querem fugir a esse trabalho, não será orque se sentem desvalorizadas, desmotivadas, mal recompensadas e consideram, mesmo que oportunisticamente, que o meio de trabalho onde estão integradas não é minimamente saudável ou aliciante para o seu desenvolvimento pessoal? Que tipo de pessoa prefere não trabalhaar a trabalhar? Serão pessoas que ganham misérias, que são cada vez mais exploradas, cujo trabalho não as valoriza mais do que uma mera situaçãod e inactividade? Será que isto não conta? Eu faço o que gosto, logo nunca entraria numa situação de baixa fraudulenta. E como eu somos todos assim. Mas, como você, os portugueses colocam sempre a culpa do lado errado.

Isto já para não falar do laxismo que a segurança social mostrou durante anos no âmbito da fiscalização e que levou ao aproveitamento deste tipod e situação para fugir ao conflito laboral, em ves de o enfentar.

MAs, nãos endo da CGTP, julgo que não é este o exemplo que o meu caro pode recolher da conduta da CGTP. A valorização do trabalho nada tem a ver com isto.

Agora, se esta notícia serve para desvalorizar a segurança social e os trabalhadores, também serve. Não é por haver fraude que deve deixar de haver baixa médica, ou é? Também há falências fraudulentas, e muitissimas, com prejuízos muito maiores para os contribuintes. Também há despedimentos colectivos fraudulentes, também há reformas fraudulentes, pré reformas frauduletas, e isso, meu caro, detroi muito mais a segurança social e o bolso dos contribuintes, mas como agrada aos patrões que insistem em utilizar subterrefúgios deste tipo a tronarem-se realmente produtivos e competitivos, proporcionando condições de trabalho que envolvam e valorizem os rabalhadores, ao invés, do que assistimos actualmente, onde ninguém gosta do que faz, nem do local onde trabalha. Isso quer dizer que o nosso mundo do trabalho está doente e isso de certeza, que é mais culpa dos patrões do que dos trabalhadores. Mas como você gostará de colocar a culpa do lado errado, porventura dirá que a culpa é dos trabalhadores que não possuem nem poder de direcção ou de disciplinar o trabalho ao seu dispor.

É a mesma história de quando se diz que os ciulpados do desemprego dão os emigrantes. Enfim, enquanto se colocar a culpa do lado errado, não vamos a lado nenhum.

Hugo Dionisio

www.deuses-intestinos.blogspot.com

MFerrer disse...

Caro Hugo,
Está enganado. Um dos papeis dos sindicatos é também a difusão das boas normas e da ética profissional e social. Quem ataca, e de que maneira, os trabalhadores e os contribuintes, são os que dão golpadas no erário público; Sejam administradores que roubam ou trabalhadores que pela sua prática difundem valores errados e oportunismos que prejudicam a sociedade e a economia do País. Daí que eu pensei que a formação de uma consciência de classe proletária e de uma ética correspondente também competisse à CGTP...
Erro meu?!
Aceito essa crítica e fico à espera para ver o que acontece ao défice, à Segurança Social, aos imppostos dos que os pagam, aos subsídios de desemprego e aos abonos de família.
É que eu julgava que isto eram conquistas dos trabalhadores ao longo dos séculos. Mesmo antes da CGTP e do PC existirem já havia explorados e exploradores. Oportunistas e trabalhadores abnegados.
Agora o que me espanta mesmo é o Hugo querer justificar as fraudes com fraudes maiores e de outro tipo.
O meu caro não arranja melhor argumento contra a corrupção do que a corrupção generalizada?
Para terminar sempre lhe digo que é por estes silêncios cúmplices que as ideias mais reaccionárias encontram as portas escancaradas e o terreno a semear...
E escusa de "justificar " as fraudes dos trabalhadores por eles "não gostarem do trabalho que fazem": O ridículo tem limiyes. Então no mundo civilizado, e com direitos e deveres, os trabalhadores só trabalham se gostarem do que fazem?
...e SÓ os patrões portugueses - esses malandros! - exploram os trabalhadores?
Em que mundo é que o Hugo vive?