terça-feira, junho 15, 2010

Uzbequistão, Kirguistão e o Homem Novo

A dar razão aos que suspeitavam que em vez do Homem Novo, o desaparecimento da URSS daria lugar a ferozes nacionalismos, aí está mais um drama humano devidamente temperado com os melhores ingredientes do imperialismo, i.e. bases militares, exportação de carne branca, espionagem, tráfico do que for possível, obras faraónicas, e eleições marteladas qb!
No Kirguistão, a minoria usbeque, tem vindo a ser caçada como se de coelhos se tratasse.
O seu País de origem, o Uzbequistão, o que faz?
Encerra as fronteiras e diz-se indisponível para receber refugiados...
Isto sim, é internacionalismo e do bom!

1 comentário:

picanochao disse...

OH! SR MFERRER, O SR. ACHA QUE NUM FUTURO PRÓXIMO, ALGUNS DESSES PAÍSES, FARÃO PARTE DA INDESCRITÍVEL C.E.E.?