quinta-feira, junho 10, 2010

Val, esse peregrino de paisagens sobre a nossa existência

Val, no seu imperdível Aspirina, já faz parte da nossa cultura e constitui um farol de claridade sobre as tintas cinzentas que borram os nossos sentidos.
Todavia hoje excedeu-se e, embora o assunto fosse demasiado fácil para ele, o Val superou-se.
Ora apreciem este naco:
"Existe um certeiro índice de avaliação dos discursos presidenciais chamado CHACHA (Converseta Habitual e Aparvalhada para Cavaco Hipnotizar as Audiências). Existe porque o acabo de inventar, o que muito me facilita a sua aplicação. Resulta da soma de três indicadores: a taxa de inanidade, a taxa de aborrecimento e a taxa de sonsice. O índice varia de 0 a 10, sendo 10 o valor correspondente à chachada máxima.

Vejamos citações retiradas do discurso proferido hoje, em Faro, por Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa – pedindo antecipadas desculpas pela reduzida quantidade exibida face à quantidade de exemplos ao dispor no texto:

"BlockquoteÉ nosso o dia, pois é nosso o tempo presente. Aos olhos da História seremos responsáveis perante a memória daqueles que nos precederam e, acima de tudo, pela herança que iremos deixar aos Portugueses de amanhã."

Com que então, estamos no presente. E no futuro falarão de nós. Quem diria.

Índice de CHACHA: 10
( ler tudo)

1 comentário:

Rogério Pereira disse...

Li tudo e deixei lá este

Alerta à navegação:

Em toda esta chachada, há um número enorme de distraídos, de memória curta, prontos a ouvir conversas de chacha. Julgo que o discurso foi bem montado, talvez por quem já faça parte da sua comissão eleitoral…