quinta-feira, maio 08, 2008

Manuela Ferreira Leite, about 2


Entrevista que custou ver.

Nada a favorece: O aspecto. O tom de voz. Os grandes planos ... e o que se lhe percebe entre murmúrios e arranques de mau feitio, é que se prepararia para baixar impostos, nomeadamente o IMI que diz ser muito injusto (?).

Além de eu não saber se há de facto impostos justos, ou se é a sua aplicação que é injusta, salta à vista que a candidata a vencer o PS, não vai olhar a meios para agradar à sua clientela: A grande economista e financeira quase, quase, esteve a afirmar que iria pôr em prática em Portugal uma Flat Rate, como na Polónia.

É acabar de vez com o Estado-Social em toda a sua dimensão. É o Menezes de volta a privatizar tudo! Com a flat rate não haveria fundos para coisa alguma . Seria o salve-se quem puder. O SOS . O Mayday! Mayday! Os excluídos a voltarem ao analfabetismo. Os emigrantes a serem apenas os analfabetos.

A Igreja católica com campo aberto para a salvação das famílias e dos desamparados e das suas almas.

O regresso do trabalho infantil e, fatalmente depois, o défice a obrigá-la de novo e sempre, a fazer habilidades fiscais.

Nem os patrões mais desbragados apoiariam tal coisa!

É que ela não percebe ser indispensável um mercado interno para que haja uma economia própria.
E para tal é preciso investir, de forma continuada, em meios humanos e em suporte financeiro na única saída possível para o País : Na Educação ! Como o governo está fazer ! Novas escolas e equipamentos escolares como nunca se viu em Portugal.

Ou então, tudo isto vai ser uma grande zona franca da Europa...

1 comentário:

AL disse...

MFerrer, admiro o seu sentido de humor. Sobretudo quando elogia o esforço do governo em melhorar a educação do nosso país.

Já me respondeu noutro local que não tem tempo para responder a questões e por isso prefere monólogos a diálogos. O que cada vez mais confirma as minhas suspeitas de que não fala pela sua própria cabeça, mas apenas segue uma cartilha pré-definida. Nesses casos, como é obvio, percebe-se a sua incapacidade em contra argumentar. Como aliás se viu no meu comentário anterior em que lhe mostrei as contradições do que defende. O seu silêncio foi a melhor das respostas pois mostrou claramente a sua incapacidade em desmentir aquilo que escrevi.