quinta-feira, novembro 20, 2008

A democracia de sentido único ou a estória do falsário

A populista ideia de Manuel Alegre de que as estruturas sindicais estão acima das críticas e dos aborrecimentos, só pode inscrever-se numa ideologia simplista de populismo de esquerda - o que quer que isso seja ! - mas que não serve a Democracia tal como é preticada na maioria dos países:
Os governos são eleitos e depois têm legitimidade para aplicar o seu programa. Se a cada passo o seu programa tiver de ser sufragado pelas respectivos destinatários, quaisquer que sejam, é a democracia que fica diminuída e em ponto morto, a aguardar a ratificação casuística.
Acusar a Ministra de Educação de arrogância e de teimosia é o mesmo que perorar sobre o carácter molhado da chuva. É que o programa de Governo que elegeu Manuel Alegre e lhe confere o direito a substanciais réditos de que não abdica!, diz expressamente:
" Programa de Governo do XVII Governo Constitucional, no Capitulo II:(...)Enraizar em todas as dimensões do sistema de educação e formação a cultura e a prática da avaliação e da prestação de contas. Avaliação do desempenho dos alunos e do currículo nacional, avaliação dos educadores e professores, avaliação, segundo critérios de resultados, eficiência e equidade, das escolas e dos serviços técnicos que as apoiam"
Outrossim, que dizer da arrogância insultuosa e descabelada dos professores e da Fenprof que exige não só a suspensão imediata da Avaliação como a demissão de toda a equipa ministerial??
E, o que é que se diria por essa melindrosa comunicação social fora, e pelos delegados da direita e da esquerda irresponsável, caso algum dia um ministro exigisse de um sindicato, que se demitissem os seus orgão dirigentes? Que abandonassem a sua ideologia ?
Apenas se lhes exige que negoceiem e respeitem depois o que firmaram em Acordos há meia dúzia de meses!
Tem graça que nunca ouvi a Srª Ministra ( que é assim que um Homem se tem de se lhe dirigir!), apesar de provocada ao limite, nem ser defendida por Manuel Alegre, nem exigir que os dirigentes sindicais se demitissem.
Quem é o arrogante, o teimoso e o falsário?

2 comentários:

Ana disse...

Subscrevo totalmente.
O Senhor Deputado Manuel Alegre independentemente do seu passado não é o "dono" da liberdade, não sei de que complexo sofre em relação ao Primeiro-Ministro para aproveitar tudo e mais alguma coisa para atacar o seu governo e pôr-se sistemáticamente do lado dos adversários do PS.

AntiNeoliberal disse...

Óh Ana

Porque os adversários também podem ter razão, ou a razão e as virtudes estão todas com o PS?