segunda-feira, junho 02, 2008

Ainda os tumultos dos pescadores/armadores

Já há por aí quem queira atirar outras culpas sobre o legislação que pretensamente defenderia os especuladores...
Sobre isso:
Os pescadores têm que vender o peixe na Lota.
Aqui , na Espanha, nos EEUU e na China!
É a lei do comércio por grosso, aplicável ao peixe, às batatas, aos nabos e melões.
Mas ninguém pode impedir os pescadores de se organizarem em sociedades, cooperativas ou não, de comércio de pescado ou de batatas e nabos.
O que se passa é que é mais prático ser pescador em mini barcos, sem qq condições, alguns mesmo a gasolina(!) e largarem o peixe na Lota, sem mais preocupações. E gritar por subsídios que o contribuinte teria de pagar!
Foram eles, os pescadores, que abandonaram o produto do seu trabalho nas mãos dos especuladores.
Não se querem organizar, nem que o Ministro lhes empreste 40M de euros!
Com essa verba qq um podia fazer uma empresa, alugar as câmaras do Estado, nas Lotas do Minho ao Algarve, e comprar o peixe todo.
Vendê-lo depois às grandes superfícies e exportá-lo. E ganhar muito dinheiro com isso.
Ou pensam, alguns deste críticos, que os comerciantes de peixe da Galiza não são sociedades participadas em partes iguais por armadores, pescadores e comerciantes?
Não se pode é ser analfabeto e saber organizar a vida!
Mas agora estabelecida a confusão até os pescadores que trabalhavam umas horitas por semana e vendiam o peixe directamente aos restaurantes de luxo, por debaixo do balcão e sem papeis...estão forçados à greve e sem rendimentos para governar a vida.
Cada restaurante de luxo deste País tem um ou mais pescadores que "trabalham" para eles sem Segurança Social, sem reforma ou Fundo de desemprego. São aos milhares e estão agora com uma imensa entaleda.
Para os outros, que parecem nada saber do assunto, sempre lhes digo que as verdadeiras embarcações de pesca de médio e longo curso vendem o pescado ainda estando em alto mar.
Como?
Abrindo concurso à melhor oferta para as quantidades de produto que têm a bordo já refrigerado e classificado por calibres e qualidades...
Agora os pescadores de costa, com barquitos que os mandam ao fundo por dá cá aquela onda, esses não se organizam e fazem greves e arruaças.
Que praga ou destinio será este de os portugueses não se organizarem em Portugal mas, uma vez emigrados, cumprem todas as orientações, trabalham as horas que forem necessárias, e regressam de lá todos contentes a dizer que "aquilo é que é organização !"??
Até quando?

1 comentário:

Verde disse...

Isso é assim porque "cá em baixo" há sempre um governo a aturar-lhes os desmandos e a satisfazer-lhes as exigências, à nossa custa, está bem de ver. Lá fora, tem que se fazer pela vidinha.

Abraços.