quarta-feira, outubro 12, 2005





Do Portugal Ferroviário, este desabafo e respectiva indignação:

Segunda-feira, Outubro 10, 2005

Bom senso e acção
Por mais que lhe custe, o Ministro dos Transportes não pode voltar atrás na decisão de exonerar as administrações que engendraram a maquiavélica manobra de cruzamento de lugares nos quadros das empresas REFER, e CP.Mesmo sabendo-se que à data da sua realização esta escandalosa manobra foi misteriosamente tolerada, vá lá saber-se porquê, pela então tutela da altura.Embora este não tenha sido o primeiro caso conhecido, a verdade é que nunca antes o escandaloso desrespeito pelos mais elementares princípios de ética na gestão pública, tinha chegado tão longe - quer pela temerária amplitude do número de administradores simultaneamente directa e indirectamente envolvidos, quer pelo vergonhoso despudor com que foi praticado.Todos se beneficiaram a todos - atribuição de prémios, autonomeações, corrigidas por troca de nomeações cruzadas, e admissões nos quadros das empresas de outros administradores de afiliadas e de outros amigos. Tudo ainda acrescido da renovação de mandatos antes do seu termo, para prolongar artificialmente a permanência dos lugares na administração. Uma vergonhosa manobra de abuso do poder, em benefício próprio e de amigos. Um esquema ardiloso, indígno, e ultrajante como nunca se tinha assistido no caminho de ferro. Daí a enorme onda de indignação que este chocante procedimento, ao ser conhecido, desencadeou no seio do sector ferroviário.Os agentes do sector não compreenderiam, que depois da anunciada intenção moralizadora do ministério dos transportes, a montanha acabasse por se limitar a parir um mísero ratinho. Se tal viesse a acontecer, isso seria, sem dúvida, muito mau precedente. Um sinal que baralharia todas as expectivas de moralização, que todo o sector dos transportes actualmente aguarda com grande ansiedade.




Mas o que podemos já adiantar é que temos sido governados e administrados por seitas de vigaristas e de oportunistas da pior qualidade e máxima desvergonha.
Estou hoje convencido que, se for possível varrer esta gente, e as suas mordomias, em todos os sectores, o País ficará subitamente rico e próspero!

5 comentários:

An Jo disse...

Tambem temos de varrer os gajos da oposição. Eles estiveram lá primeiro.

MF disse...

Bem visto!
Mas sabe como é, isto da democracia liberal, sem controlo, até permite que o PPM e o Partido da Terra possam fazer acordos com outro e arranjar uns lugares na AR, aliás como recentemente aconteceu com o PSD...
Isto da gente recordar para não esquecer parece uma piada mas não é!
Na maioria dos Países com democracias mais vigiadas, é necessário ter um mínimo de votos para poder ter um assento na AR.
Mas eu não sou favorável à varridela. prefiroo enxovalho público e que se contem todas as vigarices que fizeram ao longo de 25 anos de governos de direita em Portugal. É para afotografia ser mais nítida. Se fossem varridos transformavam-se em vítimas.
Obrigado pela visita!

An Jo disse...

De nada. Gostava que aceitasse o seguinte desafio: V. Exc. colocou um comentário onde acusa Racosta de censura. Gostaria que, na medida do possivel, colocasse esse comentario no meu blog, para poder aquilatar da natureza dessa censura.
Cumprimentos

PiresF disse...

Nem mais.

racosta disse...

"PPM e o Partido da Terra possam fazer acordos com outro e arranjar uns lugares na AR, aliás como recentemente aconteceu com o PSD..."

E também a coligação entre Verdes e PCP.

freak e piresf:
Os comentários censurados estão publicados em comentário a "Um que se atirou ao mar, sozinho!" aqui neste blog.