quinta-feira, outubro 27, 2005

Para compreender a direita revanchista


Pensar eleger Cavaco para presidente da República é assim como pedir a um autómato que tenha imaginação, que conheça a História do País.
Elegê-lo é prepararmo-nos para assistir a um verdadeira derrocada política.
O desempenho de Cavaco, na qualidade de D. Sebastião, vai ser o do rei-criança: E depois dele, virá a Espanha ou a Mauritânia reclamar o País. Dele não ficará mais do que a memória vaga. Preparemo-nos, pois.
Vai ser um desatino: Ele a querer mandar no Governo.
Diz ter um programa:
Pois bem, se tem um programa concorra a primeiro-ministro. É simples.
Não pode é querer ser padeiro e vender gasolina!
Não pode é ter sido responsável por não haver médicos portugueses e chorar lágrimas de crocodilo.
Vai privatizar até os cemitérios para dar emprego à sua corte.
E o Governo à espera de ser dissolvido junto com a Assembleia da República. A que ele chama, freudianamente, de Assembleia Nacional!
Tenham calma! Que isto ainda mal começou!
Vai grassar a incompetência dos membros da corte: Santana Lopes vai ser perdoado e em breve renascerá das cinzas!
Leonor Beleza será beatificada. Cinha Jardim Será embaixadora.
Voltarão os ministros das finanças que não servem para caixas de supermercado.
É garantido!
Vai propor alterações ao Orçamento.
As poucas indústrias que por cá estão, vão daqui para fora num instante. Vai ficar ele e a banca a ver a Nação a soçobrar.
A independência a meter água, e provavelmente, acaba aqui.
Virão as comissões liquidatárias.
Os latifundiários a regarem campos de golfe com a água do Alqueva!
Os professores a não quererem fazer nenhum!
A taxa de analfabetismo será um recorde.
Os juízes a exigirem, ainda, melhores condições de vida.
A Igreja, contente com tanta miséria, desdobrar-se-á em caridades e litanias de sentido social, coisa em que são particularmente especialistas, à posteriori!
Depois, os bancos, já satisfeitos com o que daqui levaram para os paraísos, darão de ombros e desligarão a luz.
A Europa, farta de mandar milhões, fechará a torneira!
Os portugueses partirão aos milhares para qualquer sítio, a fazer qualquer trabalho não qualificado.
A Segurança Social vai dar no Canal da História.
Virão imigrantes de todo lado.
Os que ficarem, podem já a começar a juntar munições que vem aí uma Jugoslávia.
Este iluminado salvador transporta consigo os piores genes, aqueles que destroem pátrias e cegam as gentes!
Votem, votem nele e depois me dirão!

3 comentários:

Arrebenta disse...

Metadiálogos da Lareira (II)

-- Ó, avô, o que é uma economia medíocre?
.
-- Uma economia medíocre é uma economia que consegue existir sem o avô a interferir nela!... Mas a partir de Janeiro, se o vovô for eleito, vamos ter interferências todos os dias!...
.
-- Mas não foi isso que a senhor professora me ensinou lá na escola...
.
-- Não se diz "escola", diz-se "colégio". Então, o que é que a senhora professora te ensinou no colégio?...
.
-- A senhora professora disse-me que uma economia medíocre era aquela onde as indústrias não produziam nada que se conseguisse vender lá fora, onde as pessoas eram obrigadas a importar tudo o que gostavam de comprar, e que os importadores ganhavam muito dinheiro com as taxas que punham em cima do que as pessoas compravam, e que como as pessoas continuavam a ganhar muito poucochinho, eram obrigadas a ir pedir muito dinheiro aos bancos, a juros altíssimos, e que os bancos gostavam muito de que as pessoas lá fossem pedir dinheiro, porque assim havia muito dinheiro a circular e eles podiam dar-lhes mais disfarçadamente o dinheiro que outras pessoas da economia paralela lá depositavam...
.
-- Qual economia paralela, filho!!!???...
.
- Vô, ela diz que é o dinheiro do tráfico da droga, dos paraísos fiscais, do tráficos dos imigrantes, da prostituição, das armas, da construção civil, do Futebol, e ela diz que assim o país vai acabar depressa, e que isto só é resultado do rumo que as coisas tomaram durante THE GREAT PORTUGUESE DISASTER...
.
- The Great quê!!???...
.
-- Diz ela que foi o período entre 1985 e 1995, em que o vovô foi...
.
-- MARIA TU ÓVISTES ISTO!!!???... QUANTAS VEZES EU QUE JÁ TE DISSE QUE SE TEM DE PÔR MÃO NO QUE ENSINAM AOS GAROTOS NA ESCOLA!!!!????...

Anónimo disse...

O Cavaco vai dar porrada em dez mil MFs

MF disse...

Eu não dizia que o Cavaco era o anúncio da guerra civil?
Há já os apoiantes que, democráticos, nos ameaçam !
Isso é que eu gostava de ver. Estes anónimos que nem para darem o nome têm um pingo de coragem, a segurar um RPG7 !
A desminarem uma picada!
A armadilhar um cadáver?
Até se borravam pelas pernitas abaixo!
Iam logo inscrever-se na Associação das Vítimas da Guerra e pedir uma pensão vitalícia.
Venha lá o confronto que temos muito campo para florir!